Alterima - Industria de Geradores e Micro Usinas




TURBINAS HIDRÁULICAS
Turbinas Hidráulicas Alterima.
 
 
As turbinas hidráulicas Alterima são projetadas para transformar a energia mecânica (a energia de pressão e a energia cinética) de um fluxo de água, em potência de eixo. Atualmente são mais encontradas em usinas hidrelétricas, onde são acopladas a um gerador elétrico, o qual é conectado à rede de energia. Contudo também podem ser usadas para geração de energia em pequena escala, para as comunidades isoladas.
 
Nossas turbinas não possuem praticamente manutenção de reposição de peças, usamos rolamentos padrão motor para que facilite a reposição dos mesmos em qualquer parte do Brasil, são 4 rolamentos ao todo, 02 na turbina e 02 no gerador.
A manutenção do equipamento é somente graxa uma vez por mês para funcionar 24 horas com uma garantia de 5 anos.
Tanto o gerador como a turbina pelton Alterima são 100 % fabricado por nossa empresa, tecnologia 100 % nacional.
 
Nossa empresa se especializou em pequenas quedas d'aguas e alturas, basicamente nossa experiencia é em produzir energia para fazendas para iluminação, geladeira, freezer, motores de medio porte.
Fabricamos usinas com capacidades para manter com energia ate 30 casas.


 


Em todos os tipos há alguns princípios de funcionamento comuns. A água entra pela tomada de água, a montante da usina hidrelétrica que está num nível mais elevado, e é levada através de um conduto forçado até a entrada da turbina. Lá a água passa por um sistema de palhetas guias móveis, que controlam a vazão volumétrica fornecida à turbina. Para se aumentar a potência as palhetas se abrem, para diminuir a potência elas se fecham. Após passar por este mecanismo a água chega ao rotor da turbina. Nas turbinas Pelton, não há um sistema de palhetas móveis, e sim um bocal com uma agulha móvel, semelhante a uma válvula. O controle da vazão é feito por este dispositivo.

Por transferência de quantidade de movimento parte da energia potencial dela, é transferida para o rotor na forma de torque e velocidade de rotação. Devido a isto a água na saída da turbina está a uma pressão pouco menor que a atmosférica, e bem menor do que a inicial.

Após passar pelo rotor, um duto chamado tubo de sucção, conduz a água até a parte de jusante do rio, no nível mais baixo. As turbinas Pelton, têm um princípio um pouco diferente (impulsão) pois a pressão primeiro é transformada em energia cinética, em um bocal, onde o fluxo de água é acelerado até uma alta velocidade, e em seguida choca-se com as pás da turbina imprimindo-lhe rotação e torque.

As turbinas hidráulicas, podem ser montadas com o eixo no sentido vertical. Um mancal de escora suporta todo o peso das partes girantes da turbina e do gerador que é montado logo acima dela. Em PCH (Pequena Central Hidrelétrica)turbinas são fabricadas com eixo na horizontal.

Normalmente, devido ao seu alto custo e necessidade de ser instalada em locais específicos, as turbinas hidráulicas são usadas apenas para gerar eletricidade. Por esta razão a velocidade de rotação é fixada num valor constante.

A potência de uma turbina pode ser calculada pela seguinte expressão: P = ρQHgη

O índice η é a eficiência total da turbina. A eficiência é a fração da energia total da fonte de energia primária (no caso a água) que é convertida em energia útil (no caso potência de eixo). As principais causas da "perda" de energia nas turbinas são:

* perdas hidráulicas: a água tem que deixar a turbina com alguma velocidade, e esta quantidade de energia cinética não pode ser aproveitada pela turbina.
* perdas mecânicas: são originadas por atrito nas partes móveis da turbina e calor perdido pelo aquecimento dos mancais.

Tipicamente turbinas modernas têm uma eficiência entre 85% e 99%, que varia conforme a vazão de água e a potência gerada.

 


 

 

 






    1 - A caixa d’água deve ser feita de tijolos maciços;

    2 - A argamassa (massa de cimento) deve ser 3 x 1;
 

   3 - O fundo da caixa d’água deve ser desnivelado para que não se deposite detritos e sujeiras no fundo da mesma;

   4 - Na boca do cano onde parte a água para a setia, deve haver uma grade. Os buracos da grade devem ser de tamanho tal que se algum objeto ou detrito passar por ela, saia no bico da setia Alterima. A finalidade da grade é justamente não deixar passar objetos ou detritos que venham entupir a setia ou causar outros problemas;


 





    1 - No caso de em sua região ter dificuldades de se conseguir tubulações de 8”, 10” e 16” você poderá substitui-las por tubulações de 4”, 6” e 8”. (Polegadas)

2 - As tubulações (canos) podem ser de PVC. Não é necessário que sejam de alta pressão;

3 - Estes casos são indicados em locais de altura vertical menores que 5 metros e vazões superiores a 15 litros d’água por segundo.

 

CLIQUE AQUI E SAIBA QUANTO VOCÊ PODE GERAR DE ENERGIA EM SUA CHACARA OU FAZENDA.

Newsletter
Siga-nos